Text Resize

-A +A

Artigos

A agressividade em cães é um comportamento genético?

Sabemos que em algumas raças de cães existem indivíduos com problemas comportamentais graves, relacionados a uma expressiva agressão aos humanos. Tal comportamento pode não só diminuir a qualidade de vida e bem-estar desses cães como afetar a relação deles com os tutores e, inclusive, ser uma causa importante na definição de eutanásias.

Logo, é importante que tenhamos uma melhor compreensão da etiologia da agressividade dos cães pois, se esse processo possuir base genética, podemos identificar os cães mais ou menos agressivos e promovermos a seleção do comportamento mais desejado.

A base genética do comportamento agressivo não é de fácil compreensão. Apesar disso estudos em cães e humanos mostraram que os genes que participam do sistema serotonina/dopamina estão envolvidos com o comportamento agressivo nestas espécies, onde a redução da serotonina e da dopamina é, potencialmente, capaz de aumentar o comportamento agressivo.

Estudos genéticos quantitativos em cães encontraram estimativas de herdabilidade de médias a altas e positivas para o caráter agressão. Herdabilidade é o parâmetro que estima o quanto da variação total de uma determinada característica quantitativa, entre indivíduos de uma população, é de origem genética aditiva. Esse dado é importante pois sabemos que quanto maior a estimativa da herdabilidade de uma característica, maior é a probabilidade de se ter sucesso com a seleção desta característica.

Outros estudos genéticos da agressividade canina sugerem que a incidência do comportamento agressivo em cães esteja associada a cores sólidas, principalmente a cor vermelha. Estudos em gatos também sugerem implicações da cor de pelagem com a agressividade (http://www.busquepets.com.br/noticias/o-comportamento-dos-gatos-pode-ser...). Neste particular, o fato da melanina compartilhar de um precursor comum à dopamina e noradrenalina sustenta a hipótese de que os genes associados à cor possam ter efeitos pleiotrópicos (quando um mesmo gene afeta mais de uma característica) sobre o comportamento agressivo.

Independentemente desses estudos sabemos que o modelo genético do comportamento animal é complexo e influenciado pela interação entre genes e pelo meio, não seguindo um padrão mendeliano simples de herança. O fato dos estudos detectarem alta herdabilidade para o caráter agressividade canina, sugere que somos capazes de obter linhagens menos agressiva aplicando os modelos de seleção adequados.

Literatura sugerida:
Association of dopamine‐ and serotonin‐related genes with canine aggression

Autor:
Irineu M. Benevides Filho
Médico Veterinário- Doutor em Genética

Total de votos: 207
CAPTCHA
Esta ferramenta é para testar se você é um visitante humano e evitar submissões automatizadas de spam. (Marque a caixa abaixo)