Artigos

As consequências genéticas do acasalamento entre cães com pelagens Arlequim e Merle

A pelagem arlequim é um padrão clássico da raça Great Dane, mais conhecida no Brasil como Dog alemão e Dinamarquês. Caracteriza-se por apresentar manchas escuras sobre um fundo totalmente branco. Por sua vez, a pelagem Merle é caracterizado por manchas escuras sob um fundo de cor diluída, de forma irregular, as vezes com tons azulados, dando um aspecto de marmoreio.

Acrodermatite enteropática em Bull terrier

Em média o tempo de sobrevivência de um cão afetado pela acrodermatite enteropática é de 7 meses e o fenótipo da doença é semelhante ao da acrodermatite enteropática em seres humanos. Estudos em cachorros mostraram que as concentrações plasmáticas de zinco são significativamente mais baixas, nos cães afetados. Entretanto, o tratamento com reposição de zinco não conseguiu melhorar os sinais clínicos da doença.

Miotomia congênita em gatos

Os gatos afetados a partir de seis semanas de idade tendem a apresentar enrijecimento e espasmos musculares e, com frequência mostras distúrbio na vocalização (disfonia) e na deglutição (disfagia). Além desses sintomas os gatinhos podem apresentar blefaroespasmos (tremor nas pálpebras) e hipertrofia da musculatura da língua.

Taiwan proíbe o consumo e a comercialização de carnes de cachorro e gato

Noticia publicada em vários sites do mundo dão conta da proibição do consumo de carne de cães e gatos em Taiwan, tornando-o o primeiro estado asiático a implantar uma legislação neste sentido. A nova legislação da ilha é muito mais rigorosa do que a antiga que tratava de maus tratos aos animais e impõe pesadas multas e exposição dos infratores.

Ataxia Cerebelar em cães

Do ponto de vista genético a ataxia cerebelar no cachorro é causada por pelo menos por sete variantes genéticas. Estas variantes da ataxia cerebelar em cães são herdadas como doenças congênitas de herança autossômica recessiva e, apesar de conferirem diferenças fenotípicas entre si, todas são frutos de falhas genéticas que durante a embriogênese produzem anormalidades no desenvolvimento do cerebelo que reflete em atividade motora descoordenada dos membros, cabeça e pescoço, passadas largas e incoordenadas, tremores de cabeça, tremores corporais e ondulantes do tronco. 

Raquitismo em Gatos

O raquitismo tipo I, como esperado, resulta em sinais clínicos indistinguíveis daqueles vistos em indivíduos que sofrem de falta de vitamina D não-genética e deficiência dietética de cálcio ou exposição insuficiente à luz solar. Entretanto, por ser uma doença genética esse tipo de raquitismo afeta os gatos de forma bem precoce, caracterizando-se por hipocalcemia grave e deformações ósseas.

Porque os cães miniatura, toy, mini e micro podem apresentar graves problemas de saúde e doenças genéticas

O processo de formação de uma nova raça se dá a partir da exploração da variabilidade genética existente nas populações que, através dos cruzamentos entre animais que possuem as característica desejadas, busca-se canalizar o fenótipo para o padrão de cada uma das raças. 

Displasia Ectodérmica Anidrótica em cães

A displasia ectodérmica anidrótica já foi descrita nas raças Basset Hound, Pastor Belga, Cocker Spaniel, Pastor Alemão, Labrador, Pinscher. Bichon Frisé, Caniche miniatura, pequinês e Wippet e os cães afetados são mais susceptíveis a doenças infecciosas pulmonares e ulcerações da córnea do que um cachorro normal. (Casal et al., 2005, Casal et al., 2007, Mauldin et al., 2009).

Hipoplasia do esmalte dentário em cães (Amelogênese imperfeita)

O nascimento de um animal com uma característica herdada como autossômica recessiva implica no fato de ambos os pais possuírem o gene defeituoso. No caso da Amelogênese imperfeita em cães, como o gene já foi identificado e mapeado, já estão disponíveis comercialmente testes genéticos para a identificação dos portadores o que facilita a seleção de animais livres da mutação.

Albinismo em gatos

O albinismo é uma doença congênita (presente ao nascimento), de caráter genético, que resulta em falhas na produção de melanina, pigmento produzido pelos melanócitos. A melanina desempenha um importante papel no organismo de todas as espécies animal. Ela se distribui por todo o corpo, confere proteção contra radiações solares e é a responsável pela pigmentação da pele, olhos e pelos.

Alopecia dos mutantes de cor (Alopecia por diluição da cor)

A Alopecia dos mutantes de cor, ou Alopecia por diluição da cor (ADC), é uma doença genética, de herança autossômica recessiva que afeta cães com coloração de pelos considerada diluída, principalmente nas tonalidades azuladas e castanhas. Apesar de ser descrita principalmente em animais da raça Doberman Pinscher azuis e castanhos, onde alcança taxas de incidência iguais a 57,9% e 89,5%, respectivamente, a patologia também tem sido relatada em variantes de diluição de cor em animais das raças Yorkshire terrier, Dachshund, Schnauzer, Setter irlandês, Chow chou, Galgo italiano, Chihuahua, Weimaraners e Bernese.

Mordida de Cachorro - cuidados e orientações

Apesar da Raiva ainda ser a maior preocupação dos indivíduos com relação a ocorrência de acidente com mordeduras de cães (e com toda a razão visto ser uma zoonose fatal), as complicações mais frequentes das mordidas de cachorro estão relacionadas as infecções bacterianas das feridas, principalmente naquelas feridas penetrantes pois, além das dificuldades de limpeza, a inoculação de bactérias presentes na boca dos cães se dá de forma mais profunda. 

Síndrome de Mutilação Acral em Cães

Apesar de comumente ser atribuída à fatores comportamentais dos animais e de ambiente os trabalhos conduzidos por Plasais e colaboradores demonstraram que a síndrome de Mutilação Acral é condicionada a uma mutação genética, de herança autossômica recessiva, que confere aos animais portadores uma analgesia acral (extremidade) sem que haja comprometimento da propriocepção (capacidade de reconhecimento espacial do próprio corpo), das habilidades motoras e dos reflexos espinhais. 

Páginas

Artigos