Text Resize

-A +A

Florianópolis cria ‘Samu’ para socorrer animais acidentados

  • Postado em: 1 October 2016
  • Por: webmaster

Santa Catarina parte na frente ao criar, em Florianópolis, o Serviço de Emergência Veterinária para socorrer animais acidentados. Apesar de ser uma excelente notícia devemos ter consciência que tal fato representa muito pouco, quando comparamos com às políticas públicas, garantidoras da proteção e bem-estar dos animais, praticadas em outros países.

Mas até quando o Brasil continuará virado de costas para as questões de proteção e bem-estar dos animais? Quando Estados e Municípios irão entender que a efetividade das leis que eles promulgam, no sentido de harmonizar a convivência entre homens e animais, precisam vir acompanhadas de políticas públicas e de ações concretas de apoio às iniciativas não governamentais? Tomemos como exemplo os EUA cujo Congresso estabelece leis rigorosas de proteção aos animais e possuem poderosas associações que atuam nesse sentido. Dentre elas a mais conhecida do Brasileiros talvez sejam a Sociedade Americana pela Prevenção da Crueldade com os Animais (ASPCA), fundada em 1866, e a Sociedade Humana dos Estados Unidos (HSUS). Para o cumprimento de suas missões  essas associações contam com serviços de adoção, abrigo, resgate de animais, internações e tratamento veterinário. Para impor o cumprimento de leis contra a crueldade com os animais, contam com oficiais/detetives devidamente treinados, uniformizados e credenciados como autoridade policial.

Vejam a notícia na íntegra

Fonte: Animais Sensacionais

Florianópolis cria ‘Samu’ para socorrer animais acidentados

Santa Catarina sempre parte na frente quando o assunto é proteger animais indefesos. Depois da cidade de Araquari sancionar uma lei que dá desconto no IPTU para quem adotar animais abandonados, Florianópolis acaba de criar o Samuvet, serviço de emergência veterinária para socorrer cães, gatos e cavalos acidentados.

Criado à base de doações, o Samuvet custou aos cofres públicos R$ 853. O carro para salvar animais atropelados, que era da prefeitura, foi resgatado de um ferro-velho por Eduardo Cavallazzi, diretor do Bem-Estar Animal (Dibea). Ele pagou a reforma do próprio bolso, assim como as luzes de emergência.

O carro foi equipado com uma caixa de transporte, para animais menores, uma maca, para os maiores, e uma mala de primeiros-socorros. Uma carreta pode ser acoplada ao veículo para possibilitar o transporte de até dois cavalos ao mesmo tempo. O carro permitiu que as ocorrências com animais sejam atendidas 24 horas por dia em um dos primeiros serviços do tipo no Brasil. São Paulo, Salvador e Recife têm projetos parecidos, mas ainda não implantados.

A ideia surgiu pela necessidade da padronização dos atendimentos da Polícia Militar em situações como de animais que sofrem ou provocam acidentes, explicou o diretor, que também é da corporação. Por desconhecimento, agentes da segurança pública acabavam não entrando em contato com o Bem Estar Animal. "Resolvemos padronizar esse tipo de atendimento”, disse o diretor.

Com o Samuvet, as ocorrências serão numeradas. Somente as polícias Militar e Civil, o Corpo de Bombeiros e a Guarda Municipal poderão chamar o serviço. Para atender às ocorrências, foi modificado um automóvel Zafira. O carro foi equipado com uma caixa de transporte, para animais menores, uma maca, para os maiores, e uma mala de primeiros-socorros. Uma carreta pode ser acoplada ao veículo para possibilitar o transporte de até dois cavalos ao mesmo tempo.

CAPTCHA
Esta ferramenta é para testar se você é um visitante humano e evitar submissões automatizadas de spam. (Marque a caixa abaixo)