Text Resize

-A +A

Hospital veterinário da Uema oferece serviços a baixo custo para animais

  • Postado em: 7 November 2016
  • Por: busquepets

A cada dia cresce a preocupação com os custos de manutenção da saúde dos animais domésticos em nosso país, principalmente, devido as dificuldades financeiras e por parte do cidadão que se preocupa com o bem-estar dos cães e gatos errantes, cuja população cresce assustadoramente em as nossas cidades. O site Busquepets já tem comentado essa questão, em outros textos, mas entendemos que seja importante reforçar essa questão. 

O código de ética, que orienta o exercício profissional da profissão do Médico Veterinário, acertadamente estabelece algumas regras que normatiza as relações entre os profissionais e consumidores, por exemplo:
•    constitui falta de ética a contratação de serviços profissionais de colegas, sem observar os honorários referenciais. 
•    o médico veterinário não pode oferecer seus serviços profissionais como prêmio em concurso de qualquer natureza. 
•    ao médico veterinário não é permitida a prestação de serviços gratuitos ou por preços abaixo dos usualmente praticados, exceto em caso de pesquisa, ensino ou de utilidade pública.  (Casos excepcionais deverão ser comunicados ao CRMV da jurisdição competente para a devida autorização) 
•    é vedado ao médico veterinário permitir que seus serviços sejam divulgados como gratuitos.

O Médico Veterinário é um profissional autônomo, assim com o médico humano, engenheiros, contadores, etc.… e, por conseguinte, tem que ser remunerado pelos serviços prestados à sociedade. Mas percebam que o código de ética contempla a excepcionalidade quando vinculados a pesquisa, ensino ou de utilidade pública.
 Mas até quando o nosso País continuará virado de costas para as questões de proteção e bem-estar dos animais? Quando Estados e Municípios irão entender que a efetividade das leis que eles promulgam, no sentido de harmonizar a convivência entre homens e animais, precisam vir acompanhadas de políticas públicas e de ações concretas de apoio às iniciativas não governamentais? 

Nos EUA e Europa existem leis rigorosas de proteção e cuidados com os animais e possuem associações oficiais que atuam nesse sentido.  No Brasil a grande maioria dos municípios entendem que simples projeto de castração são suficientes, mas como são desenhados e gerenciados, esses projetos são totalmente equivocados.
A notícia reproduzida a seguir trata de prestação de serviços veterinários, a baixo custo, pela Universidade Estadual do maranhão. Evidentemente que outras universidades públicas também oferecem serviços a custos reduzidos. De certo que esse atendimento tem um custo, mas essas instituições não são públicas? A sociedades já não paga impostos? Não será um caso de prioridade política e eficiência de gestão?

A capital Paulista já possui dois hospitais veterinários públicos, acertadamente em parceria com a Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais de São Paulo, ANCLIVEPA-SP. Enquanto isso o Rio de Janeiro, que foi o pioneiro nesse sentido, o Hospital é gerenciado, exclusivamente, pelo estado. Logo está sujeito a políticas equivocadas e à mercê da a ineficiência da gestão pública. E os demais Municípios? Quando irão entender essa necessidade e definir políticas públicas que garantam a saúde e o bem-estar dos animais?

Veja a notícia na integra:

MARANHÃO
Hospital veterinário da Uema oferece serviços a baixo custo para animais
07 de maio de 2016 às 0:00
 


Reprodução 

Em São Luís, os tutores de animais têm uma boa notícia. Serviços como consultas, exames, tratamentos e cirurgias estão sendo oferecidos a preços populares no Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Maranhão (Uema) e, além de ajudar a população, colabora com a formação profissional dos alunos.

Para o auxiliar administrativo Luan Mascarenhas, os serviços oferecidos pela Uema são compensadores. “Eu pago, em média, R$ 40 por cada exame de imagem. Para quem não tem tanta condição para levar [o animal] ao veterinário particular é uma oportunidade enorme”, contou.

O valor praticado pela universidade só é possível porque o hospital-escola cobra somente o necessário para repor as medicações da farmácia e dos materiais hospitalares. Isso porque o objetivo da clínica não é o lucro, mas sim o aprendizado do aluno. “O nosso hospital não visa lucro. Nosso hospital trabalha com a reposição do material, então cobramos aquilo que vai ser gasto com o seu animal. O nosso lucro é o aprendizado do aluno”, comentou o diretor.

Para Nordman Wall, professor de medicina veterinária, a diferença do hospital para clinicas e ambulatórios se dar pela exclusividade dos serviços prestados pelos alunos em formação com acompanhamento de seus professores e especialistas na área veterinária.

“A diferença daqui é que nós trabalhamos exclusivamente com a parte da reabilitação do animal. Então como tem professores, mestres veterinários e estudantes, você tem mais pessoas pensando para a solução dos problemas”, explicou o professor.

O Hospital Veterinário da Uema funciona das 8h às 17h.
Fonte G1

CAPTCHA
Esta ferramenta é para testar se você é um visitante humano e evitar submissões automatizadas de spam. (Marque a caixa abaixo)