Text Resize

-A +A

Artigos

Alopecia dos mutantes de cor (Alopecia por diluição da cor)


        Bernese

A Alopecia dos mutantes de cor, ou Alopecia por diluição da cor (ADC), é uma doença genética, de herança autossômica recessiva que afeta cães com coloração de pelos considerada diluída, principalmente nas tonalidades azuladas e castanhas.

Apesar de ser descrita principalmente em animais da raça Doberman Pinscher azuis e castanhos, onde alcança taxas de incidência iguais a 57,9% e 89,5%, respectivamente, a alopecia por diluição de cor também tem sido relatada em variantes de diluição de cor em animais das raças Yorkshire terrier, Dachshund, Schnauzer, Setter irlandês, Chow chou, Galgo italiano, Chihuahua, Weimaraners e Bernese.


Setter

Não obstante do gene, aceito como sendo o responsável pela diluição de cor, ter sido identificado e mapeado em 2005, os mecanismos que determinam a Alopecia por diluição de cor ainda não estão totalmente esclarecidos. Sabe-se que nem todos os cães com diluição de cor apresenta a doença e que o efeito “diluição da cor” está associado a outros importantes distúrbios bioquímicos relacionados à condução de íons cálcio e queratinização. 

Os cães afetados são fenotipicamente (aparência) normais ao nascimento. O sintoma de perda de pelos ocorre somente nas áreas de coloração diluída, em geral, entre os 4 e 18 meses de idade. Além dos pelos de cor normal não serem afetados é comum que as áreas da cabeça, cauda e membros sejam poupadas.

A incorporação de genes indesejáveis em determinadas populações é fruto da interferência do homem nos processos seletivos. Em geral a obtenção de novos animais de raça pura - e de variedades dentro de raças - são obtidos a partir do acasalamento de um número restritos de reprodutores. Tal fato reduz a variabilidade genética e concentra indivíduos aparentados favorecendo os acasalamentos consanguíneos.

Do ponto de vista da genética populacional essa situação é preocupante pois os animais selecionados para a reprodução deixarão mais descendentes e, caso esse conjunto de animais possuam genes defeituosos,  será potencializado o processo de disseminação dos genes mutados e a diminuição da diversidade genética. 

 Sabe-se, ainda, que em pequenas populações o cruzamento consanguíneo (entre parentes) é inevitável e que ele contribui ainda mais para a redução da variabilidade genética, para a diminuição da resistência às doenças, para o aumento da incidência das doenças genéticas na população e para a diminuição da fertilidade dos animais.

Na Alopecia por diluição da cor é bastante comum que, com o passar do tempo, ocorra obstrução dos folículos pilosos por aglomerados de queratina. Com frequência a alopecia por diluição de cor é acompanhada por uma piodermatite secundária e o faz-se necessário o diagnóstico diferencial de outras enfermidades com sintomatologia semelhante. 

Evidentemente que por ser de origem genética não há cura para essa dermatopatia. Entretanto o Médico Veterinário será capaz de traçar estratégias no sentido amenizar os transtornos de pele e melhorar o bem-estar do animal.

Irineu M. Benevides Filho
Médico Veterinário, Doutor em Genética e Especialista de gestão Empresarial

 

Total de votos: 288
CAPTCHA
Esta ferramenta é para testar se você é um visitante humano e evitar submissões automatizadas de spam. (Marque a caixa abaixo)